8 erros que podem estragar o seu intercâmbio – e como não cometê-los

Intercâmbio é mesmo uma experiência incrível. Independente da sua idade, do país que escolher como destino e o que vai estudar lá, vai ser único. Vai por mim! Porém, alguns erros muito comuns cometidos por muitos intercâmbistas (e eu não tô me excluindo não) podem estragar seu intercâmbio. Se conselho fosse bom não se dava se vendia, certo?! Errado 🙂 Tô aqui pra dar esse conselho de graça: aprenda com o erro alheio, assim você vai aproveitar sua experiência da melhor maneira possível.

8 erros que podem estragar o seu intercâmbio e como NÃO cometê-los:

 

1. Confundir intercâmbio com turismo

 

intercâmbio

Esteja ciente desde o início que intercâmbio não é férias. Você não vai viver viajando e passeando. A maior parte do seu tempo você vai passar numa sala de aula e também trabalhando se assim optar por fazer. É claro que terão muitos momentos de diversão, passeios e viagens. Porém não confunda, no seu intercâmbio você vai acordar cedo, ter rotina e obrigações, assim como no Brasil.

 

2. Levar muitas malas

 

Pelo menos pra Nova Zelândia, a franquia de bagagem são 2 malas de 32kg (pelo menos era quando eu vim). Tem gente que vem com 2 malas de 32kg. M-e-u-d-e-u-s-q-u-e-e-r-r-o. Em primeiro lugar porque você vai se mudar no mínimo uma vez. Eu me mudei umas dez. Vai ser um saco ficar carregando tudo isso fora as tralhas que se acumula aqui depois que compra roupa de cama, travesseiro, utensílios etc. Segundo porque, se você for um mero mortal como a maioria vai dividir apartamentos pequenos. Você mal vai ter espaço pra uma mala. Fique feliz se tiver um guarda roupa! Morei bastante tempo sem, só tinha prateleiras pra colocar minhas coisas. Ou seja as suas roupas vão ficar dentro da mala o seu intercâmbio inteiro e você não vai usar nem metade. Sério.

 

3. Não se desligar do Brasil

 

Falar com a família e amigos todos os dias. Saber exatamente tudo o que está se passando lá. Viver num país com a cabeça em outro. Sai dessa! Você não vai conseguir se adaptar e viver suas experiências se sua atenção estiver voltado pro Brasil. Você não precisa passar o relatório completo do dia pra sua família. Até mesmo porque na segunda semana sua vida já vai ter virado rotina e as coisas vão se tornando normais, as novidades vão acabando aos poucos. Nada mais óbvio do que fazer um intercâmbio pra viver outro país, conhecer outras pessoas, outras culturas.. Não precisa se isolar do resto do mundo, saiba equilibrar

 

4. Ficar comparando sua vida no intercâmbio com a vida do Brasil

 

Não é fácil viver longe de todo mundo, num país diferente e que você provavelmente não domina a língua. Os amigos não são os mesmo, as festas não são as mesmas, a casa não é a mesma. Nada é igual. Se você mora no conforto da casa dos pais e tem internet, comida, água e luz milagrosamente, no intercâmbio vai aprender que você precisa pagar por tudo isso. Vai descobrir que roupas não se lavam e não vão andando pro seu armário. É muito comum que os intercambistas passem o dia no facebook ou no instagram desejando estar na festa que os amigos estão. É muito comum que lamentem pelas dificuldades, que desejem estar no conforto de casa de novo. Essa pessoa, não seja essa pessoa! Ao invés de reclamar e querer vida boa, use essa experiêcnia pra dar muito mais valor a tudo que tem no Brasil quando voltar.

 

5. Ter vergonha ou não querer falar a língua local

 

É comum sentir vergonha e insegurança, principalmente no início. Falar uma nova língua não é fácil mas entenda que escola é 40% e os outros 60% são prática. Se joga. Se enturma com pessoas de outras nacionalidades, vá pra bares, conheça novas pessoas. Perca a vergonha. Até porque a maioria das outras pessoas estão no mesmo barco que você. Todos estão aprendendo. Não faça parte dos 80% das pessoas que voltam pro Brasil sem dominar a língua que foi estudar. Não digo sobre falar fluente porque isso realmente leva tempo, eu mesma não me considero fluente no inglês apesar de trabalhar e me comunicar com todos aqui na Nova Zelândia porque sei que ainda cometo erros gramaticais e falta aprender muuuuito vocabulário. Mas eu sei que pelo menos eu posso ir pra qualquer lugar do mundo sozinha e me comunicar bem.

 

6. Só andar com brasileiro

 

Esse puxão de orelha serve pra mim também. Nos meus primeiros 7 meses de intercâmbio só andei e morei praticamente com brasileiro. Vamos combinar, nada como uma amizade calorosa de brasileiro. Nada como festas de brasileiros. Nada como churrascos de brasileiros. Porém intercâmbio serve pra aprender uma nova língua e viver uma cultura diferente da que você está acostumado. É tão legal conhecer novas culturas, falar sobre a sua e ouvir sobre a do outro. É tão legal ver que o é normal pra você é bizarro pro outro e vice e versa. É tão legal ver as pessoas fascinadas pela cultura brasileira e é tão legal conhecer outras culturas e poder se fascinar também! Saiba equilibrar, ande com os brasileiros, mas não se feche para outros grupos de amigos.

 

Receba em seu email um eBook grátis para te ajudar a escolher o seu destino de intercâmbio clicando aqui

 

 

7. Não estar aberto para novas culturas

 

Na escola, você vai conviver com gente de tudo quanto é país. A cultura de cada uma dessas pessoas é completamente diferente da sua. Muitas vezes isso é mais difícil de se lidar do que se imagina. Coisas extremamente pequenas, podem começar a tirar você do sério de você não estiver aberto. Principalmente se não colocar na sua cabeça que os outros não tem que ser igual a você e viver do jeito que você aprendeu que é certo. Por exemplo, quando eu estava no início do meu intercâmbio eu não suportava que os asiáticos comiam peixe no intervalo da aula as 9 da manhã. A comida deles infestava a sala com cheiro de peixe enquanto eu ainda estava digerindo meu café. Aquilo me tirava do sério. Na minha cabeço aquilo era o cúmulo e segui irritada por muitas manhãs até eu entender que pra eles o cúmulo  era alguém comer um pedaço de bolo de café da manhã por exemplo. Ou dar beijo no rosto pra dar oi e tchau ou tantas outras coisas que pra mim é normal. Tente não levar tanto tempo pra se adaptar e pra se abrir pra novas culturas.

 

8. Não procurar trabalho direito

 

Tudo bem se você tem dinheiro suficiente pra passar o intercâmbio inteiro sem trabalhar. Ou se tem alguém te bancando. Sorte a sua! Porém, se você é um mero mortal como eu, procure trabalho direito. O que eu mais vi durante meu intercâmbio foi a galera reclamando que não tinha dinheiro e nem trabalho. Na verdade o problema não era a falta de trabalho e sim a falta de procurar direito. Esquece, a chance de você conseguir um trabalho enviando currículo em casa é 1 entre mil. Bata de porta em porta. Vá atrás de verdade. Não procure emprego com medo de achar. Pode parecer bizarro mais isso acontece com muita gente. Nunca faltou trabalho pra mim. Nem que fossem poucas horas por semana, mas, sem nada, eu nunca fiquei.

Agora que você já sabe o que não deve fazer, se joga sem medo!

Incluiria algo a mais na lista? Já cometeu algum desses erros? Me conta aqui nos comentários e compartilha com os seus amigos 🙂

Pâmela Vicente

Pâmela, aos 20 embarcou pra uma viagem que mudaria sua vida pra sempre. Conheceu o mundo lá fora e não parou mais. Se descobriu. Descobriu que é possível ser feliz 7 dias por semana ainda que a vida seja uma loucura. Quer compartilhar tudo o que vê e vive. Espera que compartilhando, inspire outras pessoas a serem felizes 7 dias por semana.

Website: https://www.instagram.com/pamvicentee/