Intercâmbio – como planejar e quanto custa?

O primeiro post não podia ser sobre outro assunto. Desde que eu vim morar na Nova Zelândia muita gente vem me perguntar “quero fazer intercâmbio, por onde começar? Preciso de quanto?” bom, a boa notícia é que é mais fácil e barato do que todo mundo pensa. A má notícia é que tu vai precisar abrir mão de certas coisas pra isso acontecer.

Eu quero deixar claro já de cara que sim, TODO MUNDO pode fazer um intercâmbio, o segredo é: planejamento. Alguns vão ter condições financeiras pra tornar esse sonho realidade antes de outros. Mas vai por mim, se é o teu sonho começa HOJE. Porque daqui 3, 4 ou 5 anos vai ser hora de embarcar pra realização desse sonho e se tu não se planejar desde já pode ter certeza que no futuro tu vai desejar ter começado hoje.

 

Receba em seu email um eBook grátis para te ajudar a escolher o seu destino de intercâmbio

 

O problema das pessoas é que elas botaram na cabeça que viagem e estudo no exterior é coisa pra rico. Bom talvez fosse há 10 ou 20 anos atrás, hoje não mais. Determinação, coragem, planejamento e foco vão ser fatores decisivos na realização (ou não) desse sonho.

Tá, chega de blá blá blá e vamos ao que interessa:

COMO PLANEJAR MEU INTERCÂMBIO, POR ONDE COMEÇAR?

  • Tenha em mente no mínimo 3 opções de destinos – a partir disso pesquise sobre cada país, a moeda e quais os tipos de visto disponíveis pra brasileiros. Meu objetivo era estudar inglês então, por exemplo, meus destinos desejados eram: Califórina (USA), Austrália e Nova Zelândia em terceiro. Descartei a California porque o curso era caro, a moeda é cara e porque a imigração americana é muito rígida então as chances de ter um visto negado eram grandes. Depois descartei a Austrália pelo preço do curso também. Eis que restou a Nova Zelândia, moeda relativamente barata, curso menos caro e uma imigração não tão rígida.
  • Escolhido o destino procure o máximo de agências de intercâmbio que puder e faça cotações – mas aí vai a minha dica, cote APENAS o curso e o visto, se a grana ta curta não fecha nada além disso com agência de intercâmbio porque vai sair caro. Foi assim que eu fiz. Mas tudo isso vai depender da tua disposição e coragem pra enfrentar as coisas. Se tu não gosta de nada incerto e quer ter alguém te esperando no aeroporto e uma casa de família pra ficar, então sugiro que junte uma grana a mais.
  • Escolha a agência, feche o curso e o visto – eles vão cuidar de toda a parte da escola, matricula e etc e também vão dar todo o suporte para aplicar o visto. Tu praticamente só separa os documentos que eles pedirem e eles fazem o resto.
  • Caso tu tenha seguido o meu conselho de não fechar acomodação pela agência, reserva um hostel – um site muito bom é o hostelword, tem versão em português. A outra opção é se agilizar pra achar um quarto pra alugar (o que eu acho bem difícil de conseguir de longe) porque tu vai precisar comprovar (no caso da Nova Zelândia 2 semanas) de moradia reservada pra aplicar o visto.
  • Compra as passagens – e tem que ser de ida e volta pra aplicar o visto. Mesmo que tua intensão seja de arranjar um jeito de ficar no país ou de lá viajar pra outro lugar, tu tem que ter passagem de ida e volta pro Brasil.

Simples, né?! Agora o que todo mundo quer saber: quanto isso vai me custar? Vou passar os valores com base na MINHA experiência.

QUANTO CUSTA FAZER UM INTERCÂMBIO?

  • 14 semanas de curso de inglês tempo integral: cerca de 10 mil reais “mas 10 mil??? não tenho esse dinheiro” calma, eu também não tinha ;). As agências parcelam esse valor em muuuitas vezes, a condição é terminar de pagar antes do embarque. Aí entra o tal planejamento e o abrir mão de certas coisas que eu falei. O tempo vai passando e tu vai pagando, pagando, pagando, quando vê, acabaram as parcelas e ta quase na hora de ir, é sério, o tempo voa!
  • Passagem: ida e volta 4 mil reais (que também pode ser parcelada se quiser)
  • Visto: 1.600 reais (se fechar junto com o curso, esse valor entra no “pacote” e parcela junto)
  • Seguro saúde: não lembro pra ser sincera porque fechei junto com o curso mas foi algo em torno de 500 reais (mesmo esquema do visto, fecha tudo junto e parcela o pacote todo)
  • Comprovação de dinheiro na conta bancária: quando tu aplica o visto tu precisa comprovar que tem dinheiro pra se manter no país mesmo que teu visto te dê o direito de trabalhar. Cada país tem seu valor. No meu caso foi exigido 1.250 dólares neozelandês (cerca de 3 mil reais) por cada mês que eu ficaria. A parte ruim é que eu não tinha esse dinheiro na minha conta depois de pagar todo o intercâmbio, a parte boa é que alguém pode ser teu patrocinador. Ou seja, essa pessoa mostra que ela tem esse dinheiro e preenche um formulário assumindo a responsabilidade de te bancar. Esse patrocinador pode ser pais, irmãos, tios e etc. A pessoa não precisa de fato te bancar e nem te dar dinheiro algum (como foi o meu caso) só mostrar o extrato bancário dela.

Esses valores variam de acordo com o teu destino escolhido, tipo de curso e tipo de vida que tu quer. Digo tipo de vida no sentido que me referi antes, se tu é daqueles que morre de medo de tudo, só faz alguma coisa se tiver plano a, b, c, d… Ou seja, não está disposto a arriscar e meter a cara, vai sair mais caro. Mas se tu como eu, tem o espirito aventureiro, acredita que vai dar certo, vai sem medo, mete a cara, procura emprego e está disposto a fazer qualquer trabalho (digno) pra se virar aqui, só digo uma coisa: VEM! Porque é possível sim!

Cheguei sozinha, sem inglês, sem ninguém me esperando no aeroporto, sem ninguém me esperando em lugar algum. Peguei uma van e mostrei o papel que dizia o endereço do meu hostel. Me deixaram lá, era um quarto dividido com mais 20. Nenhum brasileiro. Logo depois arranjei um pessoal pra dividir apartamento e assim foi indo. Tô viva, foi mara! E se eu pudesse escolher e “me planejar melhor” vir com mais “segurança” te digo que escolheria ter feito exatamente como eu fiz.

 

Leia também: Viajar sozinho – do que as pessoas tem medo?

 

Muitos me chamam de louca outros de corajosa. Eu acho que sou normal. Anormal é viver dentro da caixinha com medo do incerto. Esperando o dia que tiver dinheiro o bastante e quando tiver dinheiro o bastante esperar a hora certa e quando chegar a hora certa arranjar mais algum motivo pra esperar. Esperar, esperar, esperar, não espere, faça! Comece hoje! Não tem dinheiro hoje? Normal, começa economizando, aquele final de semana badalado que custa 200 reais. Aquelas roupas que tu não precisa comprar, ah e aquele carro na garagem? Meu amigo, se tu tem um carro na garagem então tu tem dinheiro pra viajar, venda! Se desapega. O problema não é a falta de dinheiro e sim as prioriadades. Pode demorar 5 anos, não importa, mas é possível e nunca é tarde.

Algumas fotos do meu intercâmbio:

 

intercâmbio Nova Zelândia

Meu último dia de aula, recebendo o diploma

 

intercâmbio Nova Zelândia

Japonesas da minha sala, queridas <3

 

intercâmbio Nova Zelândia

E claro… muitas house parties <3

 

Tem alguma dúvida? Deixa nos comentários que eu vou responder com muuuito prazer! Também indico esse post super legal de mitos e verdades sobre intercâmbio 🙂

 

Pâmela Vicente

Pâmela, aos 20 embarcou pra uma viagem que mudaria sua vida pra sempre. Conheceu o mundo lá fora e não parou mais. Se descobriu. Descobriu que é possível ser feliz 7 dias por semana ainda que a vida seja uma loucura. Quer compartilhar tudo o que vê e vive. Espera que compartilhando, inspire outras pessoas a serem felizes 7 dias por semana.

Website: https://www.instagram.com/pamvicentee/

5 Comentários

  1. Mary

    Muito bom… minha história foi um pouco parecida para vir, o único probleminha que minha ansiedade não foi me planejar dê 3 a 5 anos.. e sim meses.. :/ e hoje eu indicaria assim como você mesma disse ” se programar antes, se puder começar hoje mesmo” não irá se arrepender! BEM BACANA SUA INICIATIVA. Pâm o que você precisar, estou por aqui também. Bjs guria… aguardando mais… hehe

  2. Mary

    Sim, somos felizes 7 dias por semana. Minha história de vinda é um pouco parecida com a sua, but, o fato de se programar alguns anos antes é de suma importância, isso eu acabei por não fazer, mas faria se assim o fosse hoje. Parabéns pela iniciativa e determinação, o que precisar estamos aqui na disponibilidade para dar um *help*. Estou na expectativa aguardando mais… bjs Pâm

  3. Fernanda Townsend

    Muito bom o primeiro post, Pam! Comecou bem demais!! Vou te seguir nessa aventura maravilhosa!

  4. Marina

    Oi Pam, gostei do seu texto, foi bem gostoso de ler. Parabens pela iniciativa.

    Uma outra coisa que eu levei em consideracao na escolha do lugar foi se voce pode trabalhar como estudante. Isso foi um fator que me fez desistir de ir pro Cananda, porque voce ateh pode trabalhar, mas apenas depois que terminar o curso.

    Tambem, quando cheguei aqui, naquela epoca podia estudar como turista (nao sei como ta agora), entao eu paguei o curso por apenas algumas semanas e descobri o Exchange. Eu limpava a escola em troca do curso. Como eu nao podia trabalhar por causa do visto, eu consegui economizar o dinheiro do curso ateh sair meu visto =)

  5. Haira

    Ótimo texto pam, bem explicativo!! Saudades =)))

Comentários não são permitidos.